Sem o Marco Civil, a internet será como TV a cabo, alerta João Arruda

falta de uma legislação específica abre margem para um tratamento meramente comercial da internet, como um produto passível da exploração. "Já temos a diferenciação de pacotes no telefone celular e não podemos transformar também a internet em uma TV a cabo, em que se paga por canal ou conteúdo acessado", alertou o deputado federal João Arruda (PMDB-PR), que presidiu a Comissão Especial criada pela Câmara, para estudar a proposta do Poder Executivo.

"A internet tem que ser uma ferramenta social livre, para todos", afirmou João Arruda, em bate-papo com o jornalista Almir Biano, da Rádio Cidade de Cambira, no Norte do Paraná. O projeto do Marco Civil da Internet, que tranca a pauta de Votação da Câmara desde outubro do ano passado, quando venceu o regime de urgência constitucional, ainda depende de um entendimento entre os parlamentares para ir a discussão de votação no Plenário.
Como usuário e como deputado, João Arruda disse ser a favor do Marco Civil da Internet. "Que é uma carta de princípios e sobretudo a questão da neutralidade, que é a isonomia do processo, para que as empresas de telecomunicação ofereçam bom serviço, serviço de qualidade a preço justo a todos os brasileiros e brasileiras", disse.

Alcance no interior
Na avaliação do presidente da Comissão do Marco Civil, a internet é a alternativa mais simples e barata para garantir o acesso livre as informações, mesmo às pessoas que residem no interior do país. "É a única condição que uma criança pobre tem de acessar um vídeo, literatura, ou conhecer o mundo. Ela tem que ficar preservada nesta integração que existe em relação a tudo que vivemos na internet. O mundo virtual é essencial para o desenvolvimento do país", analisou o deputado.
Na entrevista, João Arruda também falou das dificuldades políticas que se criaram e que atrasam a discussão do projeto. "O momento que vivemos é difícil da política brasileira, sobretudo do Congresso Nacional na relação com a presidente Dilma, com o Executivo".
"Mas não podemos deixar isso influenciar a discussão sobre um tema tão importante, técnico e que muitos desconhecem, mas será um marco que futuramente vai garantir o acesso a internet livre e exigir que as empresas que oferecem os serviços, que ofereçam serviço de qualidade".
"Não podemos politizar, partidarizar esta discussão", apelou o deputado. Segundo João Arruda, o Marco Civil não se trata de um projeto da presidente Dilma, ou do PT, mas que existem ainda muitas dúvidas sobre a questão. Segundo ele, é preciso aproveitar muito bem os próximos dias para aprofundar nesta.

Processo
Alguns países, segundo João Arruda, já criaram regulamentações da internet. "Mas a nossa será a mais moderna e com certeza a melhor", frisou. O deputado acredita que o Governo Federal acabou atrapalhando um pouco a discussão. "Tem a questão política. Transformaram o projeto numa árvore de Natal".
"Colocaram lá a obrigação de data centers (centro de dados) no Brasil e outras coisas que não tem nada a ver, foram influenciadas pela espionagem dos norte-americanos que aconteceu". Na avaliação de João Arruda, esta obrigação vai acabar atrasando o desenvolvimento tecnológico no país. Ele lembrou que apresentou uma proposta que dá incentivos fiscais para a instalação de data center no país.
"Precisamos criar um ambiente favorável, antes de obrigar as empresas", disse. João Arruda concluiu afirmando que a localização dos centros de dados não vai impedir a espionagem. "O problema é de quem administra os data center. Temos que separar as coisas e fazer uma discussão profunda sobre o que queremos em nosso país, em relação a internet", concluiu.

(Foto: Antonio Jacinto Índio)

Anúncios

Sobre Rodini Netto

Jornalista de profissão, editor dos Blogs Meandros da Política (Brasil), Versão Brasileira (Europa). Diretor do Jornal Diário de Piraquara Consultor de Comunicação Digital
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s