Professores municipais e servidores de universidades federais entram em greve na 2ª

| Banda B

Os professores municipais de Curitiba e os servidores das universidades federais de todo o Paraná devem entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (17). De acordo com o Sindicato dos Servidores Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac), o início da paralisação será marcado por uma passeata até a sede da Prefeitura a partir das 8h30. Já o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau Público do Paraná (Sinditest) realiza uma assembleia às 10h que deve deflagrar a paralisação. Neste caso, o Hospital de Clínicas da capital paranaense também é afetado.

Professores municipais

greve-professores-140314-bandab

Foto: Divulgação Sismmac

De acordo com o Sismmac, as três principais reivindicações da categoria são: a forma de enquadramento no Plano de Carreira que está em estudo, a contratação de mais profissionais e a composição da jornada em hora-aula nas escolas que atendem as séries finais do ensino fundamental. Segundo dados levantados pelo sindicato nas escolas, o déficit na rede é de pelo menos 700 profissionais. “Em muitas escolas, faltam professores até mesmo para garantir o funcionamento das bibliotecas, que estão fechadas desde o início do ano”, garante o Sismmac.

O início da greve foi aprovado em uma assembleia, realizada no dia 27 de fevereiro. Nesta sexta-feira (14), a categoria realiza uma panfletagem em frente as escolas para informar as mães e pais de alunos sobre a decisão. O sindicato garante que, durante a paralisação que segue por tempo indeterminado, as aulas estarão suspensas nas escolas, creches e demais unidades de ensino da rede municipal.

Servidores federais

Os funcionários técnico-administrativos das instituições federais de ensino superior devem entrar em greve a partir do próximo dia 17 em todo o País. De acordo com o Sinditest, os servidores reivindicam: melhorias no plano de carreira, piso de três salários mínimos, antecipação da parcela de 5% de reajuste programada para 2015, a não implantação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e a revogação das Orientações Normativas que reduzem o adicional de insalubridade.

A greve dos servidores afeta a Universidade Federal do Paraná, o Hospital de Clínicas, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e o Instituto Tecnológico Federal do Paraná (IFPR).

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba para falar sobre a greve dos professores municipais e com a assessoria da UFPR sobre a greve dos servidores e aguarda retorno.

Anúncios

Sobre Rodini Netto

- Jornalista brasileiro (DRT-Pr 7.294) e Consultor em Comunicação Política. - Editor do Blog Moeda Livre Economia Digital - Fundador e Editor do Jornal Diário de Piraquara (2008). - Editor do Blog Meandros da Política (2008-2016).
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s