Professores municipais e servidores de universidades federais entram em greve na 2ª

| Banda B

Os professores municipais de Curitiba e os servidores das universidades federais de todo o Paraná devem entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (17). De acordo com o Sindicato dos Servidores Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac), o início da paralisação será marcado por uma passeata até a sede da Prefeitura a partir das 8h30. Já o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau Público do Paraná (Sinditest) realiza uma assembleia às 10h que deve deflagrar a paralisação. Neste caso, o Hospital de Clínicas da capital paranaense também é afetado.

Professores municipais

greve-professores-140314-bandab

Foto: Divulgação Sismmac

De acordo com o Sismmac, as três principais reivindicações da categoria são: a forma de enquadramento no Plano de Carreira que está em estudo, a contratação de mais profissionais e a composição da jornada em hora-aula nas escolas que atendem as séries finais do ensino fundamental. Segundo dados levantados pelo sindicato nas escolas, o déficit na rede é de pelo menos 700 profissionais. “Em muitas escolas, faltam professores até mesmo para garantir o funcionamento das bibliotecas, que estão fechadas desde o início do ano”, garante o Sismmac.

O início da greve foi aprovado em uma assembleia, realizada no dia 27 de fevereiro. Nesta sexta-feira (14), a categoria realiza uma panfletagem em frente as escolas para informar as mães e pais de alunos sobre a decisão. O sindicato garante que, durante a paralisação que segue por tempo indeterminado, as aulas estarão suspensas nas escolas, creches e demais unidades de ensino da rede municipal.

Servidores federais

Os funcionários técnico-administrativos das instituições federais de ensino superior devem entrar em greve a partir do próximo dia 17 em todo o País. De acordo com o Sinditest, os servidores reivindicam: melhorias no plano de carreira, piso de três salários mínimos, antecipação da parcela de 5% de reajuste programada para 2015, a não implantação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e a revogação das Orientações Normativas que reduzem o adicional de insalubridade.

A greve dos servidores afeta a Universidade Federal do Paraná, o Hospital de Clínicas, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e o Instituto Tecnológico Federal do Paraná (IFPR).

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba para falar sobre a greve dos professores municipais e com a assessoria da UFPR sobre a greve dos servidores e aguarda retorno.

Anúncios

Sobre Rodini Netto

Jornalista de profissão, editor dos Blogs Meandros da Política (Brasil), Versão Brasileira (Europa). Diretor do Jornal Diário de Piraquara Consultor de Comunicação Digital
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s