Crise nacional afasta PT e PMDB no Paraná

Ivan Santos, Bem Paraná

A crise na relação entre o PT da presidente Dilma Rousseff e o PMDB deve tornar ainda mais difícil a possibilidade de repetição, no plano estadual, da aliança nacional entre os dois partidos, nas eleições para o governo paranaense. O confronto entre as cúpulas das duas legendas por divergências em torno da reforma ministerial pode favorecer a articulação do governador Beto Richa (PSDB) de atrair os peemedebistas para seu palanque, isolando a candidatura da senadora Gleisi Hoffmann (PT) ao Palácio Iguaçu.

O conflito se agravou durante o feriado de Carnaval, depois que o líder da bancada do PMDB na Câmara Federal, deputado Eduardo Cunha (RJ), defendeu a revisão da aliança, irritado com o tratamento dado ao partido pela presidente e pelos caciques petistas na discussão das mudanças na equipe de Dilma.

Ontem, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, reagiu afirmando que não vai aceitar “ultimatos” do líder peemedebista. Um dia após participar da reunião com a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na qual discutiram o agravamento da tensão com o PMDB, Falcão disse que o partido do vice-presidente, Michel Temer, não pode se comportar como adversário de Dilma.

“Tenho divergência política com Eduardo Cunha porque o líder do PMDB, nosso principal aliado, não pode estar no governo e fazer oposição ao mesmo tempo. É preciso se definir”, afirmou Falcão. “Não aceito que Cunha faça ultimatos a nós. O que vai prosperar mesmo, na nossa expectativa, é a posição do setor do PMDB que defende a aliança com Dilma.”

Cunha rebateu. “Engraçado, sou agredido pelo Rui Falcão, respondo, aí ele vem e diz que não aceita ultimato? Quem está dando ultimato? Ele quer se fazer de vítima”, disse o líder peemedebista.

Falcão atribuiu a crise justamente às dificuldades de montagem de palanques regionais entre os dois partidos. Coincidentemente, o líder do PMDB na Câmara também apontou o mesmo problema, chegando a citar o Paraná como exemplo de estado onde dificilmente a aliança nacional entre as duas legendas se repetirá. Atualmente, os peemedebistas paranaenses estão divididos entre o lançamento de um candidato próprio ao governo – indicação disputada pelo senador Roberto Requião e pelo ex-governador Orlando Pessuti – e uma aliança com o governador Beto Richa. Mesmo as lideranças da legenda que mantém boa relação com o PT de Gleisi admitem que um acordo entre as duas siglas está praticamente descartada.

Richa mantém dois deputados do PMDB no primeiro escalão de seu governo – Luiz Cláudio Romanelli (Secretaria do Trabalho) e Luiz Eduardo Cheida (Meio Ambiente). Além disso, ofereceu à legenda a possibilidade de indicação do candidato a vice-governador. O resultado é que pelo menos na bancada do PMDB na Assembleia Legislativa, a maioria defende o acordo com o tucano.

O PT de Gleisi fez oferta semelhante, só que sem o resultado esperado. O líder da bancada peemedebista na Casa, deputado Nereu Moura, por exemplo, acusa os petistas de terem “abandonado” o PMDB à própria sorte após a derrota na eleição de 2010, quando o partido, em aliança com o PT, apoiou oficialmente a candidatura do ex-senador Osmar Dias (PDT) ao governo. Segundo ele, nos quase três anos em que permaneceu na chefia da Casa Civil do governo Dilma, a senadora nada fez para atender os pedidos dos parlamentares peemedebistas junto ao governo federal.

Entre os nomes cotados para assumirem a vaga de vice de Richa estão o atual presidente do Diretório Estadual do PMDB, deputado federal Osmar Serraglio, e os deputados estaduais Caíto Quintana e Artagão Júnior.

Anúncios

Sobre Rodini Netto

Jornalista de profissão, editor dos Blogs Meandros da Política (Brasil), Versão Brasileira (Europa). Diretor do Jornal Diário de Piraquara Consultor de Comunicação Digital
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s