Motoristas e cobradores entram em greve e Curitiba pode amanhecer sem ônibus nesta quarta

Foto: Roberto Romanowski – Banda B

Por Felipe Ribeiro e Roberto Romanowski / Banda B

Em assembleia que reuniu cerca de 3 mil pessoas na Praça Rui Barbosa, motoristas e cobradores do transporte público de Curitiba e região metropolitana entraram em greve por tempo indeterminado na noite desta terça-feira (25) e a capital pode amanhecer sem ônibus. Uma decisão da Justiça do Trabalho garante pelo menos 70% da frota nos horários de pico e 40% nos demais horários, mas a categoria ainda não decidiu se cumprirá a decisão. A pena em caso de descumprimento é de R$ 10 mil por dia ao Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus (Sindimoc).

Entre as reivindicações a categoria pede um melhor ambiente de trabalho, o dobro no valor das horas-extras, reajuste de R$ 150 no vale-alimentação, melhores condições para os cobradores das estações-tubo. A pauta de reivindicações da classe inclui pedido de ganho real de 16% para motoristas e 22% para cobradores além da correção da inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Durante a tarde, o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, afirmou, em entrevista, à Banda B que há três meses a categoria busca um acordo com as empresas, mas como nada chegou, a categoria entrou em greve. “Ficamos decepcionados com o rumo da negociação, os trabalhadores merecem uma valorização maior já que possuem uma defasagem salarial e precisam de melhorias nas condições de trabalho”, disse.

Segundo o presidente do Sindimoc, o objetivo da categoria não era paralisar as atividades e sim chegar a um acordo, mas nenhum dos 78 itens da pauta de reivindicações da categoria foi aceito pelos empresários. Os itens incluem reajuste salarial e aumento do valor do vale-alimentação. “Sabemos o quão prejudicial é uma paralisação do transporte público, mas hoje existe uma insatisfação grande. Ainda não recebemos a notificação da justiça, mas se ela chegar iremos respeitar”, comentou.

De acordo com os sindicalistas, eles vão tentar marcar uma reunião já amanhã no Tribunal Regional do Trabalho para que se chegue a um acordo.

Notícias Relacionadas:

Mesmo com greve, decisão da justiça garante 70% da frota de ônibus nos horários de pico

Indefinição na negociação dos trabalhadores adia divulgação do novo valor da tarifa técnica 

“Há três meses buscamos uma negociação, mas até agora nada”, diz presidente do Sindimoc

Anúncios

Sobre Rodini Netto

Jornalista de profissão, editor dos Blogs Meandros da Política (Brasil), Versão Brasileira (Europa). Diretor do Jornal Diário de Piraquara Consultor de Comunicação Digital
Esse post foi publicado em Curitiba, Política, Trânsito e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s