2014 será o ano do ramsonware, do bitcoin e da privacidade, diz AVG

Especialistas em segurança apontam as principais tendências para a área de tecnologia no ano que se inicia

Este será o ano do ramsonware, do bitcoin e da privacidade, disseram os especialistas em segurança da AVG Technologies, que liberou nessa terça-feira (14) as principais tendências e apostas para a área de tecnologia.

Os pesquisadores da empresa de segurança preveem que algumas tendências do ano passado podem ter repercussão e/ou continuidade em 2014, assim como algumas novidades que podem surpreender a todos. Em 2014, os ramsonwares (também conhecidos como vírus de sequestro) serão ainda mais sofisticados.

O fenômeno recente do Cryptolocker foi uma inevitável continuação da tendência desse tipo de ameaça que há algum tempo já perturbava suários e empresas. Mas esse vírus, especificamente, apresentou um grau de sofisticação e habilidade de criptografar arquivos em troca de dinheiro como nunca antes visto.

Os especialistas acreditam que os cibercriminosos irão encontrar novas formas de causar danos e fazer fortuna rápida em 2014, ainda mais se o Cryptolocker tiver uma nova versão.

Outro tipo de ransomware menos comum, mas que também deve causar problemas no próximo ano, é o que possui a funcionalidade de tirar fotos do usuário com sua própria webcam. Os criminosos passam, então, a chantagear a vitima e até cogitam incluir sua imagem em sites de pedofilia para apresentar às autoridades legais. Com medo da chantagem as vitimas acabam, muitas vezes, pagando altos valores para evitar danos por crimes falsos.

Vigilância na Internet

Em 2013 os esforços para criar redes de cooperação internacional entre agências de investigação e polícias de diferentes nações foram bastante tímidos se comparados com os riscos e danos causados pelo crime organizado, pelo terrorismo e pelo cibercrime ao redor do mundo.

Em resposta a isso a tendência em 2014 é de crescimento da chamada "vigilância na Internet". Ao mesmo tempo, a defesa ativa parece também ganhar popularidade e muitos estudiosos de segurança ao redor do globo passaram a defender o conceito de "segurança ofensiva", na qual são empregadas todas as táticas, mesmo que potencialmente antiéticas, para investigar e combater crimes online.

De acordo com os especialistas, os defensores da segurança ofensiva argumentam que o número de crimes virtuais continua a subir, ano após ano, porque os criminosos sabem que existe impunidade. Por conta disso, já existem grupos clandestinos secretos que trabalham no combate aos crimes na Internet, buscando minar o trabalho de cibercriminosos de forma independente das agências e governos.

Bitcoins

O conceito de Tecnologia ponto a ponto, antes associado à necessidade dos usuários de compartilhar músicas, vídeos, e outros conteúdos gratuitamente agora está sendo aplicado ao dinheiro – na forma de "crypto-moedas" como o Bitcoin e outras moedas digitais baseadas em instrumentos financeiros.

No entanto, muitos sugerem que o Bitcoin nada mais é do que uma ferramenta para crimes virtuais, e citam o exemplo do Cryptolocker – que usa o Bitcoin como um método de pagamento anônimo e tem sido um dos motores do aumento de seu valor, disseram os especialistas da AVG.

No ano de 2014, o foco deve permanecer no Bitcoin (e outras moedas como a Litecoin e a Novacoin) e os usuários devem se manter atentos à volatilidade e ao alto risco no uso de uma tecnologia ainda nova.

Privacidade

Na atualidade, a privacidade ainda é uma escolha do usuário. Em 2014, os especialistas acreditam que haverá muito mais discussão sobre o direito à privacidade. O usuário deve ter a possibilidade de se desconectar completamente da Internet ou pode optar por partilhar cada minuto de sua vida nas mídias sociais.

Futuro digital

Nos próximos cinco anos, a expectativa é de que mais de 2,5 bilhões de pessoas se conectem à Internet pela primeira vez no mundo.

"No entanto, ao serem confrontados com tamanha complexidade tecnológica, esses novos usuários enfrentam uma curva de aprendizagem muito mais íngreme e, infelizmente, são mais suscetíveis a problemas", afirma Mariano Sumrell, diretor de Marketing da AVG Brasil.

Sumrell alerta também que "a proteção é sempre melhor alcançada com uma combinação de tecnologia adequada, sistemas atualizados e um maior nível de conscientização e educação dos usuários".

Publicado por – Redação IDGNOWN! – http://idgnow.uol.com.br

Gerry Marcio Sozza

Publicado por Gerry Marcio Sozza

Casado e ciberativista do Greenpeace, lutando por um mundo melhor, respeitando todos os seres vivos do planeta e seu meio ambiente.

Anúncios

Sobre Rodini Netto

Jornalista de profissão, editor dos Blogs Meandros da Política (Brasil), Versão Brasileira (Europa). Diretor do Jornal Diário de Piraquara Consultor de Comunicação Digital
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s