Coluna do Marcio Kieller: Como esperamos por este beijo…

marcio-kieller-coluna

(A Coluna do Márcio Kieller é publicada, semanalmente, às terças. Está sendo publicada, excepcionalmente hoje, devido a problemas de ordem técnica).

Por Márcio Kieller

Nossa sociedade caminha inexoravelmente para o futuro, em todos os sentidos e em todas as relações sociais, relações pessoais, nas relações comercias e nas relações amorosas, em todas sem exceção.

E na última semana demos mais um passo avançando nessas relações. Tivemos em rede nacional, um fato que há tempos estava latente e que esperávamos que em mais hora menos horas acontecesse, tão aguardado beijo entre dois homens no horário nobre da televisão brasileira.

A partir do acontecido podemos ter diversas interpretações para o esperado beijo entre dois homens, agora vamos às análises dos possíveis desdobramentos que isso pode ter na vida em sociedade, os bons e os ruins.

Em primeiro lugar considero que entramos numa nova era de fato! Pois aconteceu o primeiro beijo gay masculino em horário na televisão brasileira! E ao contrario do que muitos esperavam não doeu em nada quebrar um tabu tão retrógrado e atrasada da história sociedade moderna.

E ao contrário do que pensamos não houve muitas polêmicas em torno da cena em si, foi muito mais natural do que pensamos anteriormente. Mas acredito que isso se deva por alguns motivos importantes, dentre eles que a televisão aberta brasileira estava mais atrasada que a sociedade a respeito do assunto. Sua tendência ao atraso e a defesa das políticas filosóficas das posições retrogradas e conservadoras das elites empresárias e política que mantinham nesse atraso.

E isso sem contar que a televisão esta perdendo o status de formadora de tendências e costumes  que outrora havia tido, pois dia a pós dia perde espaço outras formas de comunicação, perde espaço para as redes sociais, perde espaço para o youtube, perde espaço para Twitter e para o facebook, ao perder o espaço para essas redes perde também seus patrocinadores, que migram seus investimentos nessas novas formas de veículos de comunicação, que em sua essência são mais democráticas e também inclusivas, pois são veículos de mão dupla, onde se estabelece o contraditório, as opiniões aparecem, as polêmicas, as opiniões fluem, são colocadas e debatidas de forma mais aberta do que no veiculo de comunicação que é a televisão.

Em segundo lugar o espaço é a questão do mercado. Que é muito mais voraz e sedento do lucro passa por cima de questões filosóficas e morais. E o deus mercado conseguiu visualizar antes o que as elites conservadoras insistem em negar, que é o espaço e a autonomia que setores sociais alcançaram. Especialmente o público gay masculino e feminino que se tornaram fatia importante de mercado, e ele, o mercado para contabilizar seus lucros, para rifa, passa por cima de posições ideológicas e filosóficas que foram sempre pétreas para as elites.

Avanços conquistados. Digo isso, enquanto temor de que se aprofundem as demonstrações de sectarismo e violências as pessoas que resolverem seguir a toada da novela e tornar pública sua orientação.  E fundamental que combatamos esses abusos e essas violências descabidas, pois somente exalam o ódio e o preconceito, que como vimos até os veículos de comunicação tiveram que se dobrar ao avanço social e ao espaço conseguido com muita luta pelo movimento de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais – LGBT. Que há muito tempo, não podia se expressar como queriam, por que tinha sobre si o manto do preconceito social que lhes impelia a pecha de diferentes, de não enquadrados sociais.

Os bons ventos do fim do preconceito e da aceitação social de pessoas que tem orientação sexual diferente. Que isso seja de fato uma boa nova e que as coisas mudem para melhor na sociedade no que diz respeito ao tratamento das pessoas de orientação sexual diferente, depois de beijo entre homens protagonizado pelos atores da novela do horário nobre da televisão. Pois somente baseado no respeito conseguiremos construir uma sociedade melhor, baseada no compromisso de todos com o fim das desigualdades sociais. E que consigamos sepultar de uma vez todas, todas as formas de preconceito, de segregação social.

VIVA! ABAIXO TODO TIPO DE PRECONCEITO! VAMOS DEIXAR AS PESSOAS SEREM FELIZES!

Marcio Kieller – Vice Presidente da CUT/Pr e mestre em sociologia política pela UFPR

O artigo, acima, é de inteira responsabilidade de seu autor, não refletindo a opinião deste blog e de sua linha editorial.

Anúncios

Sobre Rodini Netto

Jornalista de profissão, editor dos Blogs Meandros da Política (Brasil), Versão Brasileira (Europa). Diretor do Jornal Diário de Piraquara Consultor de Comunicação Digital
Esse post foi publicado em Márcio Kieller, Política e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s