Empresa e ex-presidente de Câmara são declarados inidôneos por fraudar concurso

Aspecto do município: Ex-presidente da Câmara terá ...

A comprovação de fraude em concurso público levou o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) a declarar a inidoneidade, pelo prazo de cinco anos, da empresa Mandato Consultoria Ltda. e do presidente da Câmara Municipal de Campina Grande do Sul (Região Metropolitana de Curitiba) nos anos de 2009 e 2010, vereador Wilson Waller. Neste período, a empresa não poderá contratar com o poder público, mesma sanção imposta a Waller, que não poderá, ainda, exercer cargo em comissão ou função de confiança.

Prevista no Artigo 97 da Lei Orgânica do TCE (Lei Complementar Estadual 113/2005), a declaração de inidoneidade foi uma das punições aplicadas no julgamento de Representação (Processo nº 429430/10), realizado na sessão de 10 de outubro do Tribunal Pleno. A empresa e o então presidente também foram condenados, solidariamente, a devolver, ao cofre municipal, os R$ 7.500,00 pagos para a realização do concurso.

Waller terá, ainda, de pagar sete multas administrativas referentes a cada uma das ilegalidades comprovadas. O valor total das multas, previstas no artigo 87 da Lei Orgânica do TCE, soma R$ 4.837,91. O Tribunal também fará inspeção in loco, para apurar indícios de nepotismo nas nomeações de funcionários pela Câmara de Campina Grande do Sul.

Irregularidades

Segundo o voto do corregedor-geral do TCE, conselheiro Ivan Bonilha, aprovado por unanimidade, ficou comprovada a fraude no concurso. O objetivo era favorecer candidatos que já ocupavam cargos comissionados na Câmara, parentes e apadrinhados políticos dos vereadores – essas pessoas obtiveram praticamente todos os primeiros lugares. O objetivo do concurso era selecionar ocupantes de 12 cargos efetivos de níveis fundamental, médio e superior (de assessores jurídico e contábil até motoristas, auxiliar de serviços gerais e vigia).

Na apuração da Representação, o TCE comprovou a ocorrência de sete irregularidades, que prejudicaram a lisura do certame e a igualdade de condições entre os candidatos. Entre as ilegalidades estão dispensa injustificada de licitação, com a contratação de empresa despreparada para realizar o concurso; e a constituição formal da comissão encarregada do certame após a realização das provas. Alguns supostos membros dessa comissão negaram ao TCE ter participado de qualquer ato legal do concurso e afirmaram até desconhecer sua nomeação para essa atividade.

O prazo de apenas nove dias úteis para as inscrições, no período de recesso de final de ano e férias coletivas da Câmara, prejudicou os interessados. Outras irregularidades foram a inclusão do nome dos candidatos nas folhas de respostas; a falta de cadernos de provas em algumas salas e a cobrança de taxa de R$ 50,00 para exercer o direito de interpor recurso das provas.

Concurso anulado

Diante das evidências de irregularidades, em 2010 a Corregedoria-Geral do TCE concedeu medida cautelar suspendendo as nomeações até o julgamento do mérito da Representação – o que ocorreu agora. Em consequência da cautelar, em 2011 o novo presidente da Câmara de Campina Grande do Sul, Eugênio José Zamona (gestão 2011-2012), anulou o concurso, por meio de decreto.

Como ficou comprovada lesão ao erário, que necessita de reparação, o Tribunal conclui que a anulação do certame não gerou perda de objeto da Representação, e continuou apurando o caso.

A decisão atual é passível de Recurso de Revista, a ser julgado pelo Tribunal Pleno. O prazo é de 15 dias após a publicação do acórdão no Diário Eletrônico do TCE.

Serviço:

Processo: nº 429430/10
Acórdão: nº 4226/13 – Tribunal Pleno
Assunto: Representação
Entidade: Câmara Municipal de Campina Grande do Sul
Interessados: Wilson Waller e outros
Relator: Conselheiro Ivan Bonilha, corregedor-geral

Autor: Diretoria de Comunicação Social Fonte: TCE/PR

Anúncios

Sobre Rodini Netto

Jornalista de profissão, editor dos Blogs Meandros da Política (Brasil), Versão Brasileira (Europa). Diretor do Jornal Diário de Piraquara Consultor de Comunicação Digital
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s