Mercado Imobiliário: Região Metropolitana de Curitiba vai ganhar outlet de grupo paulista em sociedade com Joel Malucelli

Empreendimento Piraquara terá 120 mil metros quadrados de ABL. Obras devem começar em 2014

Por Denise Mello* – novembro/2013 – (foto acima ilustrativa)

A Região Metropolitana de Curitiba vai ganhar seu primeiro outlet e a cidade escolhida é Piraquara, a cerca de 14 km da capital. Trata-se do Curitiba Premium Outlet, que será construído pelo Grupo J. Malucelli em sociedade com um grupo empresarial de São Paulo, que já detém 16 outlets premium no país. O empreendimento vai reunir grifes nacionais e internacionais e não será pequeno. Pelo contrário. De acordo com o empresário Joel Malucelli, o projeto prevê um prédio com 20 mil metros quadrados de Área Bruta Locável (ABL), em um terreno de 120 mil metros quadrados.

“Já temos o terreno em Piraquara, em frente ao Contorno Leste. Nas próximas semanas deveremos assinar a sociedade com o grupo paulista e, em seguida, vamos apresentar o projeto ao prefeito de Piraquara para as liberações necessárias. A expectativa é começar a construir em 2014 e, em dois anos, começar a funcionar”, afirmou o empresário Joel Malucelli (foto), em entrevista ao Sindishopping.

Sobre o grupo paulista, Malucelli prefere ainda não dar detalhes. “É um grande grupo com larga experiência no setor de outlets, mas como é uma empresa de capital aberto é preciso que o lançamento seja feito por eles como um fato relevante na Bolsa. O Grupo J. Malucelli vai entrar com 50% do investimento e o grupo paulista com os outros 50%,, sendo que eles têm ainda bancos de investimentos e fundo imobiliários”, disse o empresário paranaense. O investimento deve girar em torno dos R$ 140 milhões.

Como será

O outlet, segundo Malucelli, seguirá o modelo dos principais outlets que ‘pipocam’ por todo canto na Europa e Estados Unidos. “Normalmente os outlets selecionam as grifes mais importantes e oferecem ao consumidor a possibilidade de comprar produtos de coleções anteriores com descontos de no mínimo 30%. É o que pretendemos implantar aqui”, diz.

O empresário não acredita em uma concorrência direta com os shoppings da capital. “Não concorre absolutamente com os shoppings porque nos grandes malls há outros produtos das coleções atuais das principais grifes. Além disso, vamos atuar na região metropolitana e não na capital”, afirma.

Os primeiros outlets surgiram nos EUA há cerca de 40 anos, mas não com a ideia de vender roupas de grifes. Os primeiros empreendimentos do gênero surgiram da tradução literal do nome: outlet (fora de linha). Era uma forma de escoar produtos com defeitos ou encalhados nos estoques das grandes lojas.

Hoje, as grandes grifes descobriram nos outlets uma forma de escoar coleções das estações anteriores. Para isso, oferecem descontos para quem não se importa em comprar produtos que já não estão no auge.

Tanto na Europa quantos nos EUA, este tipo de mall ocupa as margens das principais rodovias, distantes dos grandes centros, com foco naquele consumidor que não se importa em percorrer grandes distâncias para comprar.

Foi em uma das viagens que fez com seu time de futebol, o Malutron, pela Europa, que Malucelli começou a se interessar pelo segmento.  “Todo ano, reunimos um grupo de diretores e amigos e seguimos pela Europa para jogar futebol pelo Malutron Master. E, nessas viagens, de ônibus por três ou quatro países, sempre notamos muito outlets nas margens das rodovias. É um setor muito consolidado nos países desenvolvidos”, relata Malucelli.

O empresário está animado com o novo projeto e acredita que toda a região de Curitiba vai ganhar com o investimento, principalmente Piraquara. “Tenho certeza que a chegada do outlet vai incrementar a economia de Piraquara, Curitiba e toda a região metropolitana. Vamos melhorar a arrecadação do município, gerar ISS e ICMS para o governo e abrir centenas de vagas. Todos só têm a ganhar”, diz animado.

Grupo J.Malucelli

De acordo com o ranking divulgado pela revista Amanhã*, o Grupo JMalucelli é o 14° na lista das 100 maiores empresas do Paraná. O Grupo possui o 7° maior capital de giro e o 10° maior patrimônio líquido do Paraná. Entre as 500 maiores do Sul, ocupa a 37° posição. Em 2012, o fatumento das 70 empresas bateu a casa do R$ 1,7 bilhão.

Outlets no Brasil (*com informações do Estadão)

Famosos no exterior , os outlets estão, finalmente, conseguindo se consolidar no mercado brasileiro. Depois de uma experiência malsucedida na década de 90, em que os projetos de shoppings micaram, os outlets vivem uma nova onda no País, iniciada em 2009 com o Outlet Premium de Itupeva (SP).

Até o fim de 2014, o Brasil terá dez empreendimentos do tipo em diferentes regiões. O levantamento é da recém-criada About, empresa fundada pelo ex-executivo da Jones Lang LaSalle, André Costa, para prestar consultoria de planejamento e comercialização de outlets.

O desafio comum será provar que o insucesso dos anos 1990 não se repetirá. Naquela época, o negócio não deu certo por uma série de motivos: os lojistas trabalhavam com pouco estoque; os empreendimentos foram projetados em regiões próximas dos grandes centros, e portanto dos shoppings tradicionais; as grandes marcas, com medo de canibalizar seus produtos, não aderiram ao modelo.

Hoje, há condições inexistentes na época que podem contribuir para essa nova geração vingar. A gestão das marcas, por exemplo, ficou mais profissional, já que há grupos que administram várias ao mesmo tempo, como o InBrands. A companhia cuida de dez marcas, entre elas Richards, Ellus e Salinas.

Empresas especializadas no desenvolvimento de shoppings convencionais também entraram na jogada. A BR Malls, que tem 51 shoppings no Brasil, decidiu se unir à americana Simon Property para, pela primeira vez, participar de um empreendimento desse tipo. O futuro endereço deverá ser a altura 45 km da Rodovia Castello Branco.

Dono de 16 shoppings, o grupo Iguatemi, comprou 41% de participação no Platinum Outlet, de Novo Hamburgo. Outros 49% são da gestora de recursos Hedging-Griffo, do banco Credit Suisse.

Mas a entrada de pesos-pesados no setor não significa que ele já tenha amadurecido. O empresário Mário Valadares, dono do Sómarcas, diz que as marcas brasileiras ainda não entenderam como tirar vantagem dos outlets. “Elas não entendem que o objetivo não é ganhar dinheiro, mas usar o empreendimento para equilibrar a operação e reduzir as perdas.”

Fonte: http://www.sindishopping.com.br/

Anúncios

Sobre Rodini Netto

Jornalista de profissão, editor dos Blogs Meandros da Política (Brasil), Versão Brasileira (Europa). Diretor do Jornal Diário de Piraquara Consultor de Comunicação Digital
Esse post foi publicado em Blogs, Mercado Imobiliário. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s