Justiça invalida 1.500 do ‘trem da alegria’ do Senado

Leandro Mazini, na Coluna Esplanada
trem_da_alegria.jpg

Sob segredo de Justiça, chegou descarrilado ao TRF um Trem da Alegria de 30 anos do Senado. O juiz da 3ª Vara da Justiça Federal em Brasília, Bruno Apolinário, recusou no final de Julho cinco embargos de declaração e a advocacia da Casa Alta apela no tribunal para manter o ‘trem da alegria’ da gestão do senador Moacyr Dalla, ato 87/84. A Justiça determinou a revogação da efetivação de 1.554 funcionários e a divulgação da lista – mulheres, filhos e amigos de políticos nomeados após 5/10/83. Parte está empregada no Senado e outros estão aposentados – que terão benefícios cassados.

Demissíveis. o juiz determina que os efetivados em atividade devem retornar ao regime de CLT, sob risco de demissão, e considera a decisão da Mesa nula por ser ato lesivo ao patrimônio.

Ipsis litteris. A sentença ampara-se no decreto-lei 200/67, Artigo 102, que ‘vedava nomeação sem habilitação em concurso’. Até o fechamento da Coluna, o Senado não respondeu.

Apelação. Em nota, o Senado informou que apelou da sentença, para efeito suspensivo, e aguarda decisão da Justiça. E ratificou que ainda não foi notificado para enviar lista dos servidores efetivados.

Anúncios

Sobre Rodini Netto

Jornalista de profissão, editor dos Blogs Meandros da Política (Brasil), Versão Brasileira (Europa). Diretor do Jornal Diário de Piraquara Consultor de Comunicação Digital
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s